Benvindos!

Neste espaço divulgo meus trabalhos, textos e eventos.
Por gentileza, não faça cópia dos textos ou das fotos, obrigada!

domingo, 26 de setembro de 2010

A primavera


   
Hoje um sabiá tomava banho num prato com água esparramando água para todos os lados milhares de gotas jogadas ao alto brilhando ao sol como diamantes. O ar frio penetrava nos ossos, apesar do sol. Mas ao ver aquele monte de penas se deliciar com a água gelada, me dei conta: o inverno está chegando ao fim, esperneando, se agarrando nas árvores, trancando os pés nas pedras, e se enredando nas grades do portão, mas indo embora. Dando lugar para a estação mais bonita nestes estados do Sul do país: a Primavera!

   Os pássaros são os primeiros a se dar conta, iniciando seu balé nos ares, cantorias a partir da madrugada, brigas entre a folhagem das árvores, na disputa amorosa da estação. As plantas começam a se espreguiçar ao sol, com a seiva a circular mais rápida nas suas veias, despertando as gemas de flor e novas folhas, começando a surgir as primeiras flores do fim do inverno. E a gente que fica atenta às mudanças do jardim, começa sentir vontade de ficar lá fora, de tesoura na mão, pazinha para revirar canteiros, sair no garimpo às floriculturas em busca de algo mais para este ano, incrementar o jardim e renovar o ambiente, numa saudável tarefa de primavera. 

   Olhando ao redor, vamos analisar o jardim, o que poderemos fazer, sem gastar muito,  mas dar uma cara nova? Talvez doar para amigos e vizinhos algumas plantas que já fizeram muitos aniversários no seu jardim, estão bonitas, mas você está cansada delas? Colocar no lugar um arbusto de folhagem diferente, com flores bonitas de primavera ou verão, quem sabe umas Ixoras, um conjunto de Salvias de cores diferentes, alguma bordadura nova nos canteiros? Que tal realizar aquele velho desejo de cultivar um jardim de rosas? Para colocar uma rosa solitária no vaso na sua mesa de cabeceira, rosa esta que você colheu no jardim? Rosas cultivadas em casa, sem venenos, podem ser usadas para saladas comestíveis, você bem sabe...

   Então, saltamos da cadeira, corremos para a floricultura! Não! Primeiro, vamos fazer uma avaliação do espaço que iremos reformular, calculando quais plantas iremos retirar e quais e quantas iremos colocar, e seu tamanho quando adulta. Antes de sair nesta missão, verificamos se temos terra ou composto, adubos orgânicos e granulados para o plantio. Verificamos o estado das ferramentas e do podão para a limpeza de galhos secos. Com a lista na mão, telefone para os lugares que conhece e verifique se tem as plantas, seu tamanho e preço. Por vezes, uma planta com 25 cm tem um preço e outra 10 cm mais alta quase o dobro. Poupa tempo e muito dinheiro.

sábado, 25 de setembro de 2010

A luminosidade para o jardim (3)


Para orientação sul, no verão haverá mais sol devido à posição da Terra, mas a maior parte do ano a luz natural sem a incidência direta dos raios do sol é a determinante para o planejamento do jardim, principalmente junto a muros e edificações que impedem o sol direto. Isto não quer dizer que o jardim será monótono, só de verdes. Plantas como a Clívia, antúrios e lírios da paz florescem em locais de meia sombra, pois são sensíveis a luz solar direta. Dracenas, alocasias e outras folhagens de folhas coloridas e variegadas de meia sombra podem compor um visual atraente.

 Quando a distância entre muros de divisa e edificações é muito grande, atenção, a extremidade deste jardim de orientação sul receberá sol direto e será de orientação norte. Somente junto aos prédios não haverá sol. Então, a observação atenta, de bússola na mão, visitando o jardim à tarde poderá orientar o paisagista no projeto ideal para o espaço. Como tudo acontece, a observação atenta e sem distrações, anotando tudo para não confiar na memória, será a melhor base de trabalho.


A luminosidade do jardim (2)


Jardins com orientação Leste têm sol pela manhã e à tarde passam a ser considerados jardins de meia sombra, com luz natural, mas sem o sol direto, valendo este conceito para todos os espaços de jardins situados abaixo da linha do Equador. Se o prédio da residência ou empresa tiver sua face para leste, pode-se considerar que as plantas junto à parede ficarão na sombra após o meio-dia, então plantas de meia sombra e sombra poderão aí ser colocadas. Porém, junto à entrada, muro ou portões, o sol incidirá mais tempo, podendo ser planejadas plantas que necessitem de mais sol e produzam flores, evitando um jardim só de verdes.

A luminosidade do jardim (1)


   Ao planejar a implantação de um jardim, temos de considerar o item mais importante de um jardim, a luz do sol. A orientação do espaço do jardim indicará o caminho que o sol faz ao longo das estações, determinando o tipo de plantas A orientação Norte/Oeste é excelente para um jardim com plantas que apreciem sol direto e muita luz. Palmeiras, arbustos de flores sazonais e anuais de estação podem compor  o projeto paisagístico.Também jardins rochosos de cactáceas e suculentas poderão fazer parte de um espaço assim. Evitar plantas de sombra e meia sombra, que queimarão suas folhas com o sol forte do final da primavera até início de outono. Locais mais ao norte do Brasil, acima do Trópico de Capricórnio têm o sol a pino e todas as relações das plantas com a luz devem ser avaliadas, como o plantio das plantas mais sensíveis sob árvores e palmeiras. Seja qual for a situação geográfica da localidade do jardim, o paisagista ou o jardineiro amador terá de considerar o sol do verão, que é o mais forte e poderá danificar as folhas das plantas mais sensíveis.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

O jardim das borboletas (2)


A borboleta é um inseto seletivo. Os adultos alimentam-se de néctar de algumas flores, mas suas larvas comem folhas de determinadas plantas. Poderemos ter no jardim estas plantas, pois elas não irão atacar o resto do jardim. E quais são?
  Entre as mais conhecidas dos jardins destaco as sálvias, todas as espécies do gênero (Salvia splendens, S.leucantha,S.farinacea, etc..). A penta (Penta) herbácea presente nos borboletários do mundo inteiro, que serve de alimento e hospedaria. Outras: Tajetes patula, alyssum (Alyssum ), lantanas (Lantana camara). O jardineiro está plantando as mudas destas plantas e as borboletas estão voando ao redor de suas mãos. A foto é de Lantana camara

O jardim das borboletas (1)



Borboletas em roupas, broches, no jardim, difícil ter alguém que não aprecie. Andar no jardim com as borboletas esvoaçando de flor em flor dá uma sensação de paz, alegria e bem estar. Mas onde estão as borboletas? Olhe ao seu redor. É como aquele jogo infantil onde está Wally? Elas sumiram, por conta de jardins minimalistas, todo verde, com plantas que não tem flores com néctar para elas. Foram embora em busca daqueles espaços onde seus donos apreciam suas visitas e não se importam de dividir algumas folhas de plantas com suas lagartas.
Ah,chegamos no ponto. Quem aprecia lagartas? Aqueles bichinhos esquisitos, rastejantes, verdes ou coloridos, com ou sem espinhos, algumas com cheiro forte. Acho que ninguém admite, mas gostariam de eliminar a fase das lagartas. Porque elas precisam comer e o fazem nas plantas onde nasceram, onde sua mãe deixou os ovos que eclodiram. Precisam se alimentar, depois fazem um casulo e adormecem, na transformação maravilhosa que ocorre em segredo no casulo. Certa hora despertam, rompem a proteção e saem esticando as asas. Pronto, viraram a estrela do jardim, todo mundo sorri e acha lindo! Na foto, borboleta sobre Celosia argentea.