Benvindos!

Neste espaço divulgo meus trabalhos, textos e eventos.
Por gentileza, não faça cópia dos textos ou das fotos, obrigada!

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Resgate


   Que planta é esta, cheia de coloridos que lembra um tapete persa? Na casa dos nossos pais ou avós sempre havia alguma, todas diferentes e as pessoas trocavam galhinhos para obter nova combinação. Borboletas enlouquecidas polinizavam suas flores cheias de néctar e as sementes não recolhidas caiam e geravam novas combinações. Neste balé de buscas e trocas, todo mundo tinha esta planta em casa. E de repente, num passe de mágica, findou. É raro achar-se à venda em floriculturas, por vezes se encontra sementes em saquinhos no supermercado, esquecidos e com data de semeadura já vencida, pois ninguém levou.
  Mas porque isto ocorreu? Em regiões mais frias, o coleus (Solenostemon) tem pouca resistência quando cultivado sem proteção de árvores ou arbustos que o protejam de geadas. Se a umidade relativa do ar da região é muito alta, podem aparecer fungos em suas folhas, danificando e matando a planta. Mas não acreditamos que tenha sido por estas razões. Seu cultivo à meia sombra o faz atraente para canteiros ao redor de árvores e lados de prédios onde a luz do sol incide somente pela manhã. Seu uso em vasos com outras plantas, como Petúnia e Fuchsia produzem belo efeito pela folhagem variegada que salientam as flores das outras plantas.
  Talvez tenha sido aos poucos esquecido pela aparição de plantas mais exóticas, de folhagem com efeito paisagístico mais moderno, mesmo que minimalista. No entanto, em época de resgates de tantos valores e coisas esquecidas, o consumidor que cresceu junto a estas plantas tem o poder de mexer com a demanda e fazer retornar nas floriculturas a oferta desta planta tão bonita que lembra um bordado antigo.

Um comentário:

  1. Miriam,
    Na casa da minha mãe, na década de 70, havia muitos coléus, mas era no Rio de Janeiro. Chegamos a ter 22 espécies, uma mais linda que a outra!
    Bjs.

    ResponderExcluir