Benvindos!

Neste espaço divulgo meus trabalhos, textos e eventos.
Por gentileza, não faça cópia dos textos ou das fotos, obrigada!

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Jardins na vertical
   Formas diferentes de ajardinamentos estão sendo novamente explorados, como os jardins na vertical. As áreas urbanas têm terrenos cada vez menores, por vezes emparedados entre muros altos ou paredes de edifícios. Seus moradores podem sentir-se enclausurados. Uma forma de minimizar é fazer jardins na vertical, utilizando estas paredes para colocar plantas de forma colunar, vasos e trepadeiras, que propiciarão um visual mais ameno. As plantas ornamentarão os espaços e a sensação claustrofóbica desaparecerá. O que se precisa é escolher, pois existem plantas para todas as ocasiões, lugares e situações.


   Plantas colunares têm forma de cilindro, como alguns tipos de coníferas, a nandina (Nandina domestica) e outras.   Dentre as trepadeiras, alguma cobrem espontaneamente muros e paredões, como a hera (Hedera), a falsa-vinha (Partenocissus) e a unha-de-gato (Ficus pumila), todas elas exóticas adaptadas ao nosso país. Algumas plantas são arbustos escandescentes e será preciso fazer treliças ou esticar cabos de aço, como para a buganvília (Bougainvillea spectabilis) que necessita de apoio, tem grande dimensão e cobre perfeitamente os muros. As plantas de vaso podem ser orquídeas e bromélias, colocadas em placas ou meio-vasos, plantas pendentes, samambaias e outras. A combinação de perenes com anuais darão mais encanto ao local. 
Foto: alamanda-amarela (Allamanda cathartica). O texto faz parte do livro Paisagismo sustentável, princípios e técnicas de sustentabilidade aplicáveis a projetos de jardins de minha autoria. Disponível para comercialização, envio pelo correio.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário